quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Minijuegos para começar 2010 relax


Uma boa dica para quem curte jogos online, desses jogos em flash clássicos que vemos por aí, uma ótima sugestão, pelo menos pelo que vi de sites no estilo até o momento, é o site Minijuegos.


Esse site está na minha lista de favoritos a um longo longo tempo. Já tem mais de uns dois anos, no mínimo. E nesse tempo todo tem sempre se mostrado bem atualizado, sempre com jogos novos, mais interessantes e mais detalhados. Na verdade nem todos os jogos são deles. O site tem jogos diferentes de várias empresas. A quantidade de jogos é absurda, realmente são muitos jogos.
Desde de jogos mais bobos e infantis até jogos que podem ser chamados de “meio psicopatas”, passando por esportes, jogos de carros, etc.


Os jogos lá são classificados nas seguintes divisões: jugos de acción, animaciones, juegos de aventuras, juegos bestias, juegos de cartas, chorradas, juegos clasicos, juegos de coches, juegos de deportes, juegos de estrategia, juegos de habilidad, juegos de lucha, juegos de musica, juegos de naves, juegos online, juegos de plataformas e juegos de tiros.



Imagem do Jogo Dad n' Me (visual meio colorido, mas a ação é brutal)


Como se nota, o site é em espanhol, mas a maioria dos jogos são em inglês. Além do mais, isso não influencia, na minha opinião, o entendimento do site, que é bem intuitivo.


A única exceção onde nem todos os jogos são realmente jogos é na seção de “chorradas”, onde existem alguns videos interativos, tudo com ênfase no lado comédia da vida.


A parte dos jogos “meio psicopatas” à que me referi está incluída nos juegos bestias. Foi uma das partes que achei os jogos mais interessantes. Será que eu tenho alguma tendência psicopata? (risos)


Enfim, espero que possam aproveitar o site. O único problema é que depois que você entra lá o tempo meio que some aí quando você percebe já ficou lá 3 horas seguidas pulando de jogo em jogo ou só em alguns jogos específicos.


Vou postando eventualmente, depois, sobre alguns jogos muito bons de lá que recomendo muito, especialmente de estratégia, existem uns lá que são bem loucos mesmo, exigem um raciocínio bem rápido e lógico.


Por hora, fica a dica.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Cena de Naked Gun

Uma das melhores cenas dos filmes da série "Corra que a polícia vem aí".


Pra ilustrar o fim de 2009, temos que tomar cuidado pra não esbarrar na tinta fresca.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Empresas mais inovadoras de 2009


Apenas a título de informação, repasso o resultado dessa pesquisa que vi na net.


O site Resultson realizou uma pesquisa que selecionou as empresas mais inovadoras do ano de 2009 e as que prometem mais pra 2010.


Acho interessante dar uma olhada nos resultados por que acredito que é vendo ideias novas e diferentes que podemos conseguir tirar nossa mente do marasmo do cotidiano e navegar rumo aos mares inexplorados na net.


As empresas selecionadas variam muito em suas áreas de atuação, de ramos biológicos à ramos virtuais, de tudo tem um pouco. Existem algumas empresas que não achei lá tão inovadoras assim, quer dizer, inovadoras são, mas não vi na ideia inovadora uma utilidade real, um degrau extra para o crescimento. Como exemplo, uma ideia que não achei nada demais foi a da empresa PV Inova, que tem sugestões voltadas para a melhoria da qualidade do serviço de transporte público. As sugestões deles são a criação de um telefone público dentro dos ônibus e um tipo de televisão digital também para os passageiros dos coletivos.


Enfim, vale a pena dar uma checada nas empresas e ver o que anda rolando de novo pela web.



Achei muito boa aparição do site Clube de Autores nas empresas mais inovadoras. Achei e ainda acho fascinante a ideia dos caras, revolucionária. Falei sobre ela em outro post, aqui.



O link para o resultado está aqui.

domingo, 27 de dezembro de 2009

Exibindo posts relacionados como imagens


Navegando pela net, como sempre, esbarrei com um blog interessante. Um blog sobre blogs.
E lá vi uma ideia bem legal e prática. É estética, mas achei interessante pois caiu para mim numa boa hora.


Eu estava pensando o que fazer com os “posts relacionados” que apareciam sempre abaixo dos meus outros posts. Aquela lista enorme de posts relacionados estava começando a me incomodar um pouco. A verdade é que eu preciso dar uma reformulada geral em todos os meus marcadores de postagens, está uma verdadeira bagunça. Tópicos diferentes estão ficando relacionados entre si, e não me agrada ver esses assuntos diversos relacionados. Enfim, isso é algo que preciso fazer e que vai levar bastante tempo.

Por enquanto, esse recurso que vi no blog “Quero Criar um Blog” caiu como uma luva, além de melhorar o visual do meu amador blog, na minha opinião.


Pensei em colocar aqui o tutorial, passo a passo, criado por eles, mas acho melhor que vocês vejam diretamente no site de origem. O meu intuito é somente divulgar a ideia pela qual simpatizei.


O link que ensina detalhadamente está aqui.


Sei que rola uma preguiça de vez enquanto, de mexer nessas coisas, mas o processo é tão rápido e simples que quando você abre os olhos: “Oh, já está pronto!”. É bem fácil.


O nome do site que disponibiliza o recurso se chama Linkwithin.

Para ter uma ideia de como fica, é só ver embaixo desse post ou embaixo do post com o tutorial deles.


Enfim, é só.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Reflexão de fim de ano


É curioso como tem coisas tão banais que podem se tornar em algo totalmente oposto num segundo, num simples momento inesperadamente “esperado”.
A mania de fazer planos e esperar um certo resultado de alguma coisa é uma atividade que nos sabota sem que nos percebamos. Quando notamos já é tarde demais, a situação já está num ponto em que é impossível voltar atrás. Aí você se depara somente com duas escolhas, ou seguir adiante e encontrar algo que provavelmente não termine muito bem, o que sempre acontece em certas situações... ou então sair fora no exato momento em que tem que fazer a escolha, mas aí já é tarde demais para sair sem ser atingido por estilhaços da explosão, se é que podemos chamar assim.


Mas faz sentido quando analisamos a coisa de fora. No início era só uma menina que o cara curtia e tal. Mas depois a coisa toma um caminho que vai de encontro aos limites, toscos limites, mas limites. É o conflito de dois padrões de medidas diferentes. O limite para um é uma coisa banal para outro. Daí como ajeitar essas duas medidas? Como não se apegar ao que não deveria se apegar?


Depois de várias experiências as pessoas cometem sempre os mesmo erros. Será que não dá pra aprender com isso?
Acabamos por nos iludir com nossa própria ideia, como disse Pessoa. A culpa não é de ninguém além de nós mesmos. A partir daí a gente deveria tomar uma providencia. Afinal, a repetição desse tipo de acontecimento não é algo que se deseje.


Acho que na verdade a nossa cabeça é que não pode ficar parada... não tem outra, sempre que fica parada já era... as ideias mais inadequadas brotam em quantidade.


Uma pessoa que fica com a cabeça parada muito tempo cria em volta de si uma cidade de coisas irreais. Pra qualquer lado que se olhe lá está algo que não deveria ter a importância que tem. Em todas as direções existem os falsos degraus, a trilha que não leva a lugar nenhum.
E aonde é que nós vamos procurar a segurança quando começamos a cair? Justamente lá!


Por sorte existem coisas que, nos fazendo esquecer desses problemas, nos fazem sustentar o peso que carregamos (peso que nós mesmos criamos).


Enfim, falei muito e não disse nada.


Esse foi mais um dos textos só pra desabafar um pouco diante das coisas que vivenciamos por aí.
Só pra eu ir pra cama conseguir dormir mais tranquilo.






quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Pessoa para retormar as atividades.

Depois de uns dias trabalhando, equivalente ao período de ociosidade aqui desse blog, retomo as atividades habituais, no dia de festividades natalinas. Na famosa data onde dizem ser o amor o sentimento que todos devemos ter uns para com os outros.

Para introduzir mais um período de atividades virtuais, selecionei um pensamento de Fernando Pessoa:
Fernando PessoaImage via Wikipedia


"Nunca amamos ninguém. Amamos, tão-somente, a ideia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso - em suma, é a nós mesmos - que amamos. Isso é verdade em toda a escala do amor. No amor sexual buscamos um prazer nosso dado por intermédio de um corpo estranho. No amor diferente do sexual, buscamos um prazer nosso dado por intermédio de uma ideia nossa."

(Fernando Pessoa)


Reblog this post [with Zemanta]

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Interpretação única, puro feeling!

Não podia deixar de postar esse video de um renomado músico brasileiro, que, por causa da mídia capitalista, cai no esquecimento, assim como muitos outros músicos brasileiros tão talentosos.

O video abaixo dá uma pequena amostra da qualidade e versatilidade desse músico, com vocal que lembra muito o do Marcelo D2 no Planet Hemp, no início de carreira.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Skoob, a rede social para quem gosta de livros


Seguindo uma dica do blog Depósito do Calvin, fui parar no Skoob.
Não é o do desenho, é claro. Trata-se de mais uma nova rede social. Mas o que ela tem de diferente que me chamou atenção?
Ela é totalmente voltada para a leitura e literatura.
“Plagiando” o Twitter, que tinha como frase de slogan “O que você anda fazendo?”, o Skoob desferiu uma “O que você anda lendo?”.


No Skoob você cria o seu perfil, e começa a dizer que livros você está lendo, quais já leu e quais ainda pretende ler, informando quais livros estão na sua estante, o que também ajuda a organizar seu acervo, de certa forma. Basta buscar o livro no buscador do seu perfil e informar se já leu, se está lendo ou se vai ler.  Caso o livro procurado não exista no site, você pode clicar na opção de cadastrar livro e colocar lá o livro que está na sua estante física.


O sistema também cria uma taxa de compatibilidade de leitura, por meio de um “paginômetro”, que libera dados como quantas páginas você já leu na vida, e compara com seus amigos. Você pode criar resenhas para o livro que já leu, ou comentar o que achou do livro que está lendo, até a parte que você leu.


Parte da minha estante:




O Skoob também te coloca em contato direto com pessoas que leram o mesmo livro e que tem os mesmos gostos literários que os seus, o que facilita que se conheçam pessoas interessantes para ter papos inteligentes; opiniões podem ser compartilhadas inúmeras vezes.


Busca sobre livros do Kafka:




Está rolando lá também, até o fim de dezembro uma promoção que sorteará livros entre os usuários!
Mais um grande atrativo para quem gosta de ler.


Para criar seu cadastro e começar a viajar pelo mundo literário, é só ir para o site do Skoob.
Aqui tem um link para um tutorial detalhado no Blog Biblioteca da Lu.


Análise pessoal sobre matéria da Info Exame


Li nesse fim de semana uma revista que leio sempre, ou tento ler sempre, que é a “Info Exame”. Mas andei lendo um número antigo, que já tinha a tempos e ainda não tinha lido.


Eis que me deparo com um artigo de uma jornalista. Não a critico negativamente, muito pelo contrário. Achei o artigo dela muito bom. Ela falou sobre a classe C e seu aumento de usuários na internet.


Para começar o texto de maneira clara, busquei essa definição do que é a classe C no blog Por Acaso, e consta que é o seguinte: “Classe "C" é o grupo que ganha menos de 10 salários mínimos por mês. Atualmente, representa 90% da população brasileira, é responsável por 79% do consumo, atinge 69% do mercado de cartões de créditos, são 86% do total de internautas no Brasil e movimentam mais de 760 bilhões por ano.”


Através de vários dados estatísticos de pesquisas, ela informa que o número de pessoas da classe C que está usando a internet hoje em dia está muito maior do que era antes. Devido a diversos fatores.


Depois que eu terminei de ler o artigo em questão é que fui entender o significado do título do artigo, que achei um pouco “infeliz” a escolha. Meio desigual. O título do artigo é “Arrombaram a Web!”


Tudo bem que a criminalidade tem seu índice maior entre os de classe econômica menos favorecida , mas também existe crime entre os poderosos, entre os de classes superiores. E não são poucas as evidências que temos disso no dia a dia. Achei meio inadequado colocar esse título. Não que eu me sinta ofendido ou algo do tipo, realmente não é esse o caso. Mas eu acho que não foi uma boa escolha, somente isso. “Arrombaram a web!” Como se a classe C só arrombasse as coisas por aí e praticasse nada além do ilícito e do destrutivo. Achei meio generalizador e preconceituoso. A jornalista não desmereceu a classe C em nenhum momento no texto, minha querela é somente sobre o título.


Sou contra essa história de rotular e classificar e daí julgar a maioria. Isso vale para todas as questões. Afinal, as pessoas são muito variadas, e seus problemas e situações podem ser muito diversificadas. É injusto criticar um grupo sem conhece-lo por completo, fazendo os que não merecem receber a crítica sofrer por estar “andando junto”.


Enfim, esse post não tem um objetivo específico, foi só uma observação minha de algo que achei inapropriado. Uma interpretação que talvez possa não ter sido notada por outras pessoas, ou outras visões.




Recursos extras para o Twitter


Como sempre, navegando pela net (apesar dos contratempos oriundos da baixa qualidade de serviço da empresa que me presta serviços aqui nesse fim de mundo) e lendo revistas, descobri alguns sites que liberam uns recursos interessantes para quem curte o Twitter.



O primeiro deles é o Twitdir. Ele funciona como um diretório de contatos e também um buscador. Nele você pode buscar alguém dizendo algo sobre sua descrição, localização, etc. O Twitdir também mostra as pessoas que são mais seguidas, as que seguem mais contatos, as que tem mais recomendações nos favoritos e também as que tem mais atualizações, mundialmente falando.


Aí, como o próprio Twitter, tudo depende de como você vai usar esse recurso. Ele pode te dar um resultado altamente útil, dependendo dos seus objetivos, assim como pode também te informar um monte de abobrinhas virtuais.


Para quem segue e tem muitos seguidores, é uma boa ideia dar uma visitada no Twerp Scan. É ótimo para organizar seguidores, e seguidos. Ele possui uma ferramenta útil que descobre se tem algum perfil fake te seguindo, os famosos seguidores fantasmas. Vale a pena dar uma checada lá.


Outro recurso é o Twazzup. Ele funciona como um pesquisador de popularidade de termos. O principio ideológico de funcionamento dele lembra o do Google Trends. Creio que os dois , aliados, são uma arma analisadora de estatísticas perfeita. É só digitar um termo e mandar procurar; ele busca em fontes diversas, em tuitadas alheias, em notícias, em artigos, etc. Bem diversificada é sua pesquisa. Esse eu já favoritei aqui.


Agora, um outro recurso, que o campeão de usuários, que aliás, eu mesmo uso, é o Twitterfeed. Para quem tem blog ou quer divulgar outro blog, ele é a escolha perfeita. Basta fornecer ao Twitterfeed o endereço RSS do blog em questão, que sempre que um post for efetuado nele, automaticamente é liberado uma tuitada para seus seguidores. Neste exato momento que postei aqui lá está uma tuitada informando o título da minha postagem e um breve link.


Por vezes me surpreendo ao ver o poder que tem essas redes sociais. O poder de influência que tem certas personalidades como os usuários mais seguidos no Twitter por exemplo. Tomando como exemplo o ator Ashton Kutcher, ou o Barack Obama. Qual é o poder da palavra dessas pessoas?
Imagina se o Obama diz, por exemplo (situação totalmente hipotética e absurda): “Eu visito sempre o blog Sagacidade e Panz, é legal lá! YEAH, Man!”. Quase 3 milhões de pessoas iriam ficar cientes disso e o impacto de visitas deste humilde blog ia pular  para além das camadas terrenas. Isso sem falar que desses quase 3 milhões muitos iriam retuitar para outras pessoas e assim a propaganda iria proliferar quase infinitamente pela web.


É o poder da mídia ao alcance de todos. Antes era (e ainda é) no rádio, ou na TV; o quanto vale a palavra televisionada de um apresentador âncora em horário nobre? Nos EUA, anunciantes pagam 3 milhões de dólares por um comercial de 30 segundos no horário do Super Bowl, o clássico campeonato de futebol americano. Ou seja, lidar com pessoas em grande quantidade, movimenta muito capital por aí. A internet trouxe isso para o alcance de todos; e não faltam exemplos de pessoas normais do dia a dia que de uma hora para a outra, por causa de uma simples ideia, começaram a receber mundos e fundos.


Os recursos virtuais são ilimitados, ferramentas mil, basta sabe usar. Um dia eu aprendo. (risos)
Reblog this post [with Zemanta]

Stephen King ao alcance de todos


Cansado de abrir um site de livraria com vontade de comprar algum livro do Stephen King e se deparar com isso?? (abaixo)





Ou então ir até uma livraria com o mesmo intuito, e se deparar com preços absurdamente insagazes?


Seus problemas estão acabados!


Existe um selo da editora (isso já é "antigo", mas pra mim é novo), que se chama “ponto de leitura”, embora o site deles tenha endereço diferente do nome do selo: Editora Objetiva, que está facilitando a aquisição de livros do famoso mestre do terror/suspense.


Ontem, em um jornaleiro da capital do RJ (preciso ir lá fazer isso, os jornaleiros daqui não vendem essas modernidades como livros de bolso), comprei um livro do Stephen King por R$ 19,90. “A Zona Morta”, o livro tem um tamanho legal, cerca de 600 páginas. Definitivamente vale pagar o preço, aliás, está bem em conta do que o de outras edições por aí.


Esse é um dos mais caros. Os outros são mais baratos ainda, dependendo do tamanho do livro. Essa é uma oportunidade ótima para quem gosta do S. King e aprecia seu estilo, ou pra quem só está afim de conhecer mesmo.
Não são muitos os livros dele disponíveis nesse formato de edição, mas espero que sejam publicados mais.


Tem um site com alguns dos livros dele já publicados e seus preços aqui.


Para mais informações sobre editoras de pocketbooks no Brasil, aqui tem uma notícia interessante.


quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

BrOffice, uma opção contra o domínio microsoftiano

Com esse texto que escrevo agora, me liberto do domínio do Pacote Office da Microsoft. Já não dependo mais do Bill Gates e sua corporação, pelo menos no quesito Office. Espero sinceramente que os programas de código aberto dominem sempre mais e mais fatias de usuários do mundo. Chega de exploração!



Por falar em software de código aberto, descobri agora (realmente não sabia disso, ando muito desinformado) que existe apoio e incentivo da parte do governo federal para o aumento da atuação do software livre. Nesse portal do governo federal existem mais informações sobre o assunto.


Enfim, focando no assunto que quero tratar... O que aconteceu foi o seguinte. Eu, na minha ignorância e desatenção, fui atualizar o Windows e, já que estou o atualizando, por que não atualizar o Office também?
Resultado: Pane no Office.
Misteriosamente, só o Word continuou operante. Agora, Excel, e outros acharam o final de sua existência binária simples no ambiente operacional do meu PC.


O que fazer então nessa situação? Andei lendo uns sites e blogs por aí sobre o famigerado assunto das atualizações que já afetaram muitos desavisados feito eu, e cheguei a uma conclusão final (pelo menos por enquanto). Por que não experimentar o software de código livre BrOffice?


Já ouvi muito falar sobre ele, nunca negativamente. Então, resolvi tentar. Baixei, instalei e cá estou eu a utiliza-lo. Como são muitos os recursos e avançadas as áreas, falarei do básico que notei, li no site:


  • Ele funciona em várias plataformas operacionais, como o Windows, Linux, Mac e outros;
  • Existe vários idiomas disponíveis;
  • O ambiente visual dele é bem similar ao Office da Microsoft, e ele ainda reconhece normalmente os arquivos gerados no Office “normal”.


É interessante também a interação entre todos os programas do pacote. São bem mais integrados do que os do Office “normal”. Considerando os comandos, compartilhamento de recursos, como verificação ortográfica, dicionário de sinônimos, etc.


Minha visão talvez não seja a mais apropriada no momento para avaliar, por que comecei a usar o pacote agora, mas até agora tenho gostado bastante. Notei que é mais leve também, do que seu concorrente.


Para baixar, basta clicar aqui. Você irá para o site do BrOffice.org. Lá existem instruções muito mais detalhadas sobre o programa, sua instalação, requisitos básicos de sistema, etc. Tudo bem simples.



terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Google Zeitgeist 2009 (termos mais pesquisados em 2009)

Como já é de hábito, o Google liberou agora no fim de ano as estatísticas sobre os termos mais buscados durante o ano de 2009.

Os termos mais buscados do Brasil foram:
  1. twitter
  2. enem 2009
  3. controlar
  4. lady gaga
  5. emprega sp
  6. BBB9
  7. youtube videos
  8. concursos 2009
  9. lua nova
  10. vagalume ouvir musica



Daí podemos ter uma noção básica dos interesses dos brasileiros.

Para mais detalhes sobre os termos pesquisados no Brasil, o relatório completo está aqui.
Para os termos em nível mundial, aqui.

Fonte: UnderGoogle

Idle Hands (A Mão Assassina)



Para aliviar a tensão, vou falar de um filme tosco que achei engraçado.

Idle Hands (A Mão Assassina - 1999) é um daqueles filmes de terror mesclado com comédia típica americana. Devon Sawa faz o papel principal, de Anton Tobias, um jovem que não quer nada com nada. Só ficar em casa o dia inteiro vendo TV e fumando uns becks.

Em um dia de helloween ele acorda e percebe que seus pais estão mortos. Em desespero, encontra com dois amigos, e aí o filme começa a rolar. Depois de uns momentos de reflexão e observação Anton percebe que sua mão direita está possuída pelas forças das trevas.

Jessica Alba at a meeting in 2006.Image via Wikipedia
O elemento da mão possuída lembra um pouco o filme Evildead 2, onde, em certa parte do filme, o personagem principal passa pelo mesmo problema. São engraçadas as situações diversas onde Anton tenta controlar sua mão diante das pessoas.
Jessica Alba (Molly) aparece nesse filme, algo que só fui notar depois, fazendo o papel da menina pela qual Anton está a fim de chegar junto.

Ou seja, não se pode esperar um filme genial, de alta qualidade; mas, para distrair, para quem curte terror/comédia, como Evildead, Freddy vs. Jason, e outros, A Mão Assassina é uma boa opção.

A banda Offspring faz uma pontinha no final do filme, cantando o cover do Ramones “I Wanna Be Sedated”, e “Beheaded”, do primeiro álbum do Offspring.


Encontrei o filme para download no blog Sanguinolento.

Reblog this post [with Zemanta]

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Profecias auto-realizáveis


 Ao assistir uma palestra, pela TV,  em uma conferência de líderes e gestores de empresas que aconteceu em SP, acabei conhecendo o termo “profecias auto-realizáveis” (Self-fulfilling prophecies). O conceito disso foi algo que me despertou interesse.
A profecia auto-realizável diz que, a maneira com a qual as pessoas lidam com a realidade onde vivem influencia na formação da realidade em si. Quanto mais uma pessoa acredita em algo, mais ela pode influenciar no seu acontecimento.

Isso também é conhecido como “Efeito Rosenthal” e também “Efeito Pigmalião”.
Esses nomes foram dados pelos psicólogos Robert Rosenthal e Lenore Jacobson que realizaram um importante estudo sobre isso.

A experiência efetuada pelos psicólogos foi feita em uma escola pública americana. Eles comprovaram, através de análises de comportamentos que os professores que têm uma visão positiva dos alunos se comportam (consciente ou inconscientemente) de maneira a incentivar mais o desenvolvimento desses alunos.
E, os que têm uma visão negativa de seus alunos, tendem a adotar uma posição que compromete o desenvolvimento e desempenho deles. A descrição da experiência com mais detalhes poder ser lida aqui.

A origem do termo “Efeito de Pigmalião” vem Ovídio, um poema romano, que escreveu sobre Pigmalião. Pigmalião era um escultor que, após esculpir a mulher perfeita e se apaixonar por ela, foi agraciado pela deusa do amor, Vênus, que deu vida à escultura. Exemplificando através do mito como seu desejo se tornou real.

Para quem viu o filme ou leu o livro “The Secret”, pode achar aí a influência de muito do que foi falado no filme/livro.

Começando a refletir sobre isso, e trazendo para outras abordagens da vida, além da educacional, verifica-se a relação que se dá entre todos os fatores da linguagem.

Tudo acaba se moldando de maneira favorável a que maneira vemos e interpretamos a realidade que está ao redor de nós. No trabalho, no dia a dia, em uma entrevista de emprego. É uma coisa que funciona como um círculo “vicioso”. Nós, conhecendo uma pessoa, e tendo sobre ela uma visão positiva, valorizando suas qualidades, geramos um comportamento em nós, mesmo que não expressado por palavras (aí entra de novo a linguagem corporal), que vai despertar na pessoa uma impressão positiva de nós. É como uma troca que beneficia ambos os lados.

Basta pararmos para ver como é nosso cotidiano que veremos como isso ocorre bem debaixo do nosso nariz e nem nos damos conta.

Um exemplo disso é o vídeo que postei anteriormente aqui no Blog, do maestro Benjamin Zander. Nele, o maestro cita aquela velha história dos vendedores de sapatos que ao chegar a uma cidade onde ninguém usava sapatos, mandaram respostas para a empresa. O pessimista respondendo que não seria possível ter sucesso lá, afinal, ninguém usava sapato; e o otimista respondendo que era o local ideal para vender sapatos, afinal, ninguém usava, são todos clientes em potencial.
O maestro acaba transportando essa linha de idéias para o campo da música clássica; sugerindo uma mudança de abordagem da maior parte dos maestros, que acham que por que só 3% da população ouve música clássica, o estilo está fadado ao esquecimento

Na essência, tudo é o chamado "Efeito de Rosenthal".

Fontes:
Pineforge

Robert Rosenthal e Lenore Jacobson: Pigmalião na sala de aula


Profecias auto-realizadoras são mais poderosas particularmente em instituições sociais. Rosenthal e Jacobson demonstraram o poder delas em dentro do meio educacional. ¹

Os dois pesquisadores passaram grande tempo de suas carreiras no campo educacional e se tornaram cada vez mais preocupados com a expectativa que os professores tinham de seus alunos, especialmente em escolas mais pobres; e que muitos deles estavam contribuindo para o aumento da proporção de falha entre os estudantes.

Essas idéias não eram desprovidas de embasamento. No início dos anos 50, o sociólogo Howard Becker descobriu que os professores de escolas de comunidades pobres usavam técnicas de ensino diferentes e tinha expectativa inferior de seus alunos do que os professores de escolas da classe média. ²

O experimento de Rosenthal e Jacobson foi realizado em uma escola pública de nível “fundamental” de uma comunidade pobre, porém não totalmente marginal. No início do ano escolar, os pesquisadores deram para os alunos um teste de inteligência que eles chamaram de “Teste de aquisição modulada de Harvard”.

Eles disseram para os professores que esse teste não só determinaria o QI dos alunos, como também poderia identificar os estudantes que teriam, naquele próximo ano, um desenvolvimento mais rápido e acima da média; não importando se no momento eles eram ou não bons alunos.

Antes de começar o ano letivo, os professores receberam listas com os nomes dos alunos que, baseado no teste, poderiam ter desempenho positivo durante o ano. Na verdade, Rosenthal e Jacobson tinham escolhido aleatoriamente os nomes na lista de alunos das classes. O teste não identificava, na verdade, quais alunos poderiam ter progresso superior, como os professores foram levados a acreditar.

Resumindo, qualquer diferença entre as crianças com nome da lista e as que ficaram de fora, só existia na mente dos professores.

Um segundo teste foi efetuado no final do ano. Os estudantes com o nome na lista mostraram, em média, um aumento de mais de 12 pontos em seus QIs, comparado com um aumento de 8 pontos entre as outras crianças. A diferença foi ainda maior nas classes de crianças mais novas, onde o aumento chegou a 20 pontos em média.

As avaliações dos professores também mostraram melhorias de maneira similar. Eles indicaram que os alunos com nome na lista foram mais bem comportados, mais curiosos intelectualmente, mostraram mais chances de obter sucesso no futuro e foram mais amigáveis do que os outros alunos não listados.

Rosenthal e Jacobson concluíram que a profecia auto-realizadora estava em ação. Os professores tinham súbita e inconscientemente encorajado o desempenho que eles esperavam constatar. Os professores não só gastaram mais tempo com esses alunos, como foram mais entusiásticos para ensiná-los e involuntariamente se mostraram mais calorosos com eles do que para com os outros alunos.

Como resultado, os alunos especiais se sentiram mais capazes e inteligentes. E agiram como tal.





¹Rosenthal, R., & Jacobson, L. 1968. Pygmalion in the classroom. New York: Rinehart & Winston.
²Becker, H. 1952. “Social class variations in the teacher-pupil relationship.” Journal of Educational Sociology, 25, 451-466.




Traduzido do artigo original inglês de David Newman e Rebecca Smith Building Reality: The Social Construction Of Knowledge 
Reblog this post [with Zemanta]

domingo, 29 de novembro de 2009

Lie To Me & Linguagem Corporal



Ler a mente das outras pessoas, descobrir o que elas pensam sobre nós ou sobre outras coisas, etc., acho que sempre foi um dos “poderes” mais desejados por todos. Essa idéia já foi muito badalada na TV, seja em filmes, séries, quadrinhos, etc.

Muita gente já quis e muita gente quer ter esse poder; facilitaria muitas coisas na vida da gente, não? Daria pra evitar um monte de situações desagradáveis e aproveitar melhor as agradáveis.

Sempre tive curiosidade sobre esse assunto e uma coisa foi me levando a outra e indo de contos de ficção do Asimov, onde um robô que lê mentes gera uma grande confusão com a cabeça das pessoas, até chegar à faceta científica da coisa.

Se não tem como ler a mente das pessoas da mesma maneira como se lê um livro (pelo menos nos tempos atuais né, sabe-se lá como vai ser no futuro), é possível chegar a conclusões bem acertadas sobre o que uma pessoa está sentindo ou pensando avaliando certas “pistas” que a pessoa deixa passar; a chamada linguagem corporal e fazendo a análise das expressões faciais.

Primeiro me despertou a curiosidade de ler um livro que passou pelas minhas mãos. “Desvendando os Segredos da Linguagem Corporal” é o nome do livro em questão. Foi escrito por um casal, Allan e Bárbara Pease. Nesse livro eles falam como é dado esse processo de comunicação silencioso que atua em todo tempo que estamos vivendo em um meio social.

Segundo os estudos científicos, somente 7% da comunicação é feita verbalmente, e os outros 93% ficam todos a cargo da comunicação corporal. Daí vem a velha expressão “Um gesto vale mais que mil palavras” e também explica, de certa forma, por que dar o exemplo é uma das melhores maneiras de ensinar ou influenciar “algo” ou alguém.

Segundo os autores, nós todos já sabemos como interpretar essa linguagem corporal; faz parte do instinto humano, está já incutido em nosso ser. Só que não temos consciência disso. Por isso, muitas vezes, ao ver alguém falar algo, pode vir uma “intuição” como “Não sei por que, mas não confio muito nisso que fulano me falou” ou, positivamente, “Realmente, tenho certeza que ele vai agir como falou”. É algo meio abstrato. Aí já foi feito todo o processo de percepção e interpretação da linguagem do emissor da mensagem.


 Esse livro facilita essa interpretação e amplia os horizontes para uma área de percepção muito maior do que a nossa habitual. Confesso que comecei a ler com ceticismo, porém, ao ler e começar a "avaliar" as pessoas ao meu redor, vi que é a mais pura verdade.
Mas não é tão fácil como parece, não é só ler o livro e pronto “Sou o mestre, adivinho tudo sobre todos só de olhar”. É necessário tem bom senso, certa malícia e um quê de detetive estilo Sherlock Holmes, tudo isso aliado a um detalhismo em grande escala.

Enfim, lendo e relendo o livro, e praticando os exercícios, dentro de pouco tempo, dependendo do grau de perseverança de cada pessoa, da pra se ter resultados bem interessantes no dia a dia.

Existem diversos outros livros sobre o assunto, mais pro lado “técnico” da psicologia, que são bem interessantes também, que eu ainda não li, mas pretendo, em um futuro próximo.

Mas outra maneira mais dinâmica de se aprender algo sobre isso, ou pelo menos ter uma noção básica de como funciona, é assistindo o seriado novo da FOX, o Lie To Me. Essa série, é um drama inspirada em psicólogos da vida real que conseguem “ler” a mente das pessoas interpretando a face humana, o corpo e a voz, para expor as verdades e mentiras em investigações criminais.

Tim Roth é o ator principal da série, um psicólogo que é expert na análise de pessoas.
O enredo é bem interessante, com enigmas intrigantes e bem bolados. Durante os episódios aparecem cenas de situações da vida real, com celebridades e personalidades da mídia em momentos de mentiras e outras situações; tudo isso seguido de uma devida explicação.

Para quem se interessa pelo assunto acho que vale muito a pena assistir, pelo menos um episódio, para avaliar.
Costuma passar no domingo às 16h, terça às 22h e quarta às 4h. Mas é bom confirmar  na grade de programação se esse horário ainda é válido; eles mudam tudo do nada.

No site da FOX era possível ver episódios completos do seriado, embora em inglês, mas agora esse recurso só está disponível para quem acessa dos EUA... Que fique aqui registrado o meu repúdio à essa atitude, aliás.

Agora, acho que o seriado e o livro podem falar melhor sobre o assunto melhor.





sexta-feira, 27 de novembro de 2009

O Galo e a Raposa (Esopo)

Tomei a liberdade de adaptar uma fábula de Esopo, sábio grego, para a linguagem mais coloquial.

A moral é a mesma, e de grande valia, como muitos devem ter conhecimento ao chegar no final da fábula. Sem mais, à fábula em si:


O Galo e a Raposa

No cume de uma alta árvore da floresta, um galo cantava pelos ares, como quem chama alguém para uma conversa amistosa. Certa Raposa que não se incomodava em comer carne com penas, chegou rapidamente ao local da cantoria. Mas notando que o cantor estava mais alto do que ela podia alcançar, disse-lhe:

-- Mas bah! Por que não desces aqui, junto de mim, meu parceiro! Te trago boas notícias, Não leu a última proclama, a que estabelece a paz e a concórdia entre as bestas e as aves? Acabou-se o tempo de nos caçar e devorar mutuamente: só o amor e a harmonia presidem agora os destinos do mundo. Desce, 
 portanto, e chegue mais perto!


O Galo, como quem não quer nada, antes de descer quis colocar a Raposa em prova.


-- Vou sim, raposa, vou sim; mas espera só chegar aqueles dois cachorros que estão correndo na nossa direção.


Ao ouvir isso, a raposa respondeu:
-- Barbaridade! Sinto muito por não poder esperar. Preciso seguir em frente!


-- Mas por que vais tão cedo assim? -- disse o galo. -- Por acaso tu tens medo dos cachorros? Mas não existe agora paz entre todos nós?


-- Sim, mas acho que esses cachorros não leram as últimas proclamas! Fui!


E foi acabar de falar e a Raposa desapareceu num piscar de olhos.

A famosa moral: "É preciso viver sempre prevenido. Pois nossos inimigos vão querer nos enganar com palavras falsas"

A motivação desmotivada (um texto psicodélico)



A ausência de algo que dê motivação para seja lá o que for é bem curiosa...

Se você está num meio onde as pessoas ao seu redor almejam um desenvolvimento, um algo mais para si, uma melhoria, é bem mais fácil desejar o mesmo. Agora se você está só, não tem referencias e também não tem lá sua personalidade forte e independente, fica meio nebuloso o caminho. Aliás, que caminho? Não existem caminhos nesse caso.

Nessas horas vem à mente o porquê das coisas e como tudo seria se não houvesse um algo pra se nortear, ou para afastar um pouco a crua realidade do mundo. Podem pensar em drogas, mas me refiro à música. Lembro sempre da frase famosa de Nietzsche, que diz que sem a música a vida seria um erro. É com ela que sempre concordo.

Como hoje estou meio blues. Separei dois vídeos de duas músicas que pra mim estão no topo dos blues mais sagazes de toda a história de todos os tempos e não creio que jamais surgirá algo como eles no futuro.

Estava vendo o Alien, o oitavo passageiro, e também pensei em falar sobre isso, embora isso mude radicalmente o assunto. Isso me fez lembrar Alien vs. Predador que me fez lembrar o espírito guerreiro de anti-herói do Predador, que apesar de tudo é tocado de sentimentos. O que mostra a cena em que ele ia poupar a vida de um nobre e honorável doente senhor que já iria morrer em breve, pela doença. Acontece que o nobre senhor não reflete claramente e reage tolamente. Sua reação, sua afronta é o que perante o Predador? Um nada; e assim ele consegue o seu fim prematuro, graças a sua ignorância desmedida e ganância sem fim.
Pelo menos ele morreu fazendo o que queria.

A humanidade viaja na personalidade desse velho boçal que quer tudo e chega ao fim de maneira ignóbil. Mas ainda resta uma pequena esperança de que o velho se ligue na situação e passe a cuidar melhor de sua saúde, para viver um pouco mais e aproveitar a vida. Ou quem sabe tomar noção do que á aproveitar e morrer mais sabiamente.

Enfim, fica aqui o final desse post desconexo com dois vídeos clássicos de shows que eu gostaria de ter assistido.



quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Ler devia ser proibido.

Pequeno video em homenagem à leitura...

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Aprimoramento de recurso para o Blogger.


Alguns de vocês dever ter imaginado o que o link “Próximo Blog” na barra de navegação faz, e clicado nele uma ou duas vezes. Próximo Blog geralmente te levava para um blog aleatório, escrito por um blogueiro aleatório. Seu companheiro de Blog poderia estar escrevendo numa língua que você não conhece. Ou você pode ser alguém que gosta de ler sobre comida e restaurantes da Alemanha, mas aleatoriamente você poderia parar num Blog que fosse focado em esporte, e escrito em Tagalog.



Nós transformamos o link “Próximo Blog” mais útil, levando você para um blog que você pode gostar. O novo e melhorado link Próximo Blog irá o levar agora para um Blog de conteúdo similar, numa língua que você pode entender. Se você está lendo um Blog espanhol sobre comida, o link Próximo Blog tenderá a o levar para um outro Blog sobre comida. Em espanhol!

Você poderá descobrir um blogueiro interessante que tenha hobbies similares aos seus, tenha gosto similar em parafernálias eletrônicas, goste de esportes que você gosta, ou que tenha curiosidades e interesses parecidos.
Nós vamos finalizar liberando esse novo e desenvolvido link Próximo Blog durante a próxima semana e esperamos que vocês gostem de descobrir Blogs do interesse de vocês.

Isso tem sido um esforço de trabalho, porém agradável, para o time do Blogger e nós gostamos do suporte que recebemos de outros grupos do Google. Realmente esperamos que vocês aproveitem o novo e mais relevante link Próximo Blog tanto quanto nós aproveitamos.

Por Helen Kang, Engenheira de Software, Blogger

(Traduzido do Blogger Buzz)



Testei o recurso hoje, abri meu blog e cliquei no "Próximo Blog".
Primeiro fui levado para um blog em espanhol, com tirinhas de desenhos e caricaturas (o assunto foi ok, mas o idioma não foi como disseram no texto).
Repeti o teste uma segunda vez e fui para num blog rosinha de bijuterias em inglês (¬¬)
Pela terceira e última vez, repeti o teste e fui para num blog em alemão sobre um assunto que não consegui descobrir.


Enfim, como o o post da notícia no Blogger Buzz foi feito no dia 10, e avisa que estará disponível pra semana que vem, creio que ainda não esteja valendo pra agora; de qualquer forma, vale a futura informação.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Clube de Autores, uma idéia genial.


Uma das melhores idéias que já aí pela internet, pelo menos no campo comercial-literário, foi a criação do site “Clube de Autores”.


Para quem sempre pensou, ou pensa, “um dia eu vou escrever um livro sobre tal coisa”, não falta mais nada a não ser escrever e colocar a venda.


Não precisar gastar nem um centavo para ter seu próprio livro agora.


Funciona da seguinte forma.


Com o livro já pronto, basta entrar no site Clube de Autores, fazer um cadastro e enviar o livro em formato .pdf para eles. Durante o cadastro, ao colocar o número de páginas do seu livro, o site lhe dirá um preço que será o custo para impressão do livro; aí você escolhe o quanto quer que custe o livro, os seus direitos autorais, os valores são somados e se tem o valor total do livro que passará a estar à venda no site.


Caso alguém compre o seu livro, será enviado um pedido para a editora, que irá imprimir o número exato de copias vendidas e irá enviar para o devido destino.


O dinheiro da venda, seu valor de direitos autorais, será depositado em sua conta bancária, quando esse valor chegar ao mínimo de R$ 100.


Além de tudo, o site explica diversas outras coisas referentes à publicação do seu livro. Existem cursos sobre como divulgar, como criar uma capa para livro, etc. Fornece também informações sobre como registrar o livro na Biblioteca Nacional, dentre outros detalhes.


Basta realmente escrever o livro, mais nada. A revisão também não compete ao site, o livro já deverá ser cadastrado devidamente revisado.


É simples, rápido e sem gastos.


Esse tipo de coisa eu acho que deve ser extensamente divulgada por aí, daí o motivo de eu mencionar aqui no Blog também.
Esse tipo de incentivo é muito importante para quem gosta de escrever.


Espero conseguir colocar algum “livro” meu lá dentro de um tempo.
Achei interessante que você pode escrever um livro, colocar pra vender e comprar você mesmo, nem que seja somente para ter uma cópia de seu próprio livro (risos).


Enfim, fica aí essa dica. A internet oferece muitas oportunidades de ganhar dinheiro sem sair de casa, é só ter a idéia certa e colocar pra frente.

Você pode entrar no Clube de Autores AQUI.