domingo, 26 de abril de 2009

Efemeridades

A sensação de que algo existe além da simples educação e gentileza de certas pessoas pode ser reconfortante ou assustadora. Acho que depende de cada um o que achar sobre isso... Recentemente tive amostras dos dois lados da moeda.
Apesar do lado “assustador” ser, em geral, esperado, é sempre chocante quando ele surge diante de nossos olhos como num passe de mágica. A tentação é grande para se tomar uma posição de ceticismo total e absoluta desconfiança generalizada, mas uma postura assim é algo meio paranóico, que, a meu ver, tira a possibilidade de ser viver algo de bom na vida...
Embaixo segue um trecho de um dos filmes que pra mim é um dos melhores da história.
Em curto diálogo se revelam coisas vitais para uma vida única e não morta e estagnada.



“No dia em que paramos de olhar, morreremos”.

“Some people live a lifetime in a minute”

Acho que essas duas frases mostram como o tempo é precioso demais para gastarmos tomando posições neuróticas e paranóicas com relação à vida e as pessoas que nos cercam.
Gostaria que isso fosse fácil de aprender.

Enfim,

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Da saga de Ernesto, o Eremita: o primeiro livro do mundo.



Dizia Moisés que Ernesto, o Eremita, morava nas montanhas das terras ermas de Basiléia, ao norte de Jerusalém quando lhe aportou o seguinte acontecimento:

Ernesto cavalgava em seu burro no meio do deserto sob o calor e com sede, quando teve uma visão, algo brilhou a sua frente. Uma aparição ocorreu, uma luz surgiu, tomou forma de anjo e disse:
"Ernesto, bendito sejas tu e a tua linhagem, tu és o mais sábio dentre os eremitas e para ti contarei o segredo divino da vida em harmonia com a humanidade!”. Ernesto vibrou de louvor e honra ao ouvir aquelas palavras e ver tal aparição homérica. Então ele proferiu as palavras: "Oh! Anjo glorioso, que milagre é esse que me acomete nesse deserto vazio... Sim, eu venero tua sabedoria e quero saber o segredo, conte-me, por obséquio, tenho sede de conhecimento e meu corpo humano simplório arde para alcançar o reino do além!”. O anjo então disse: "Ernesto, serás tu o homem do futuro, por ti todos viveram, entrego-te agora meu livro, que escrevi lá em cima daquela nuvem!" E o anjo aponta para o céu. Ernesto diz: "Sim, pegarei teu livro, venderei mil cópias e te citarei nos agradecimentos... nobre anjo!".
O Anjo desapareceu e Ernesto ficou com a cópia do primeiro livro de auto-ajuda do mundo.

Fonte: Extraído das tabuletas sagradas de Ernesto, O Eremita.