domingo, 25 de setembro de 2016

Mentiram para mim sobre o Desarmamento - Resenha e Esclarecimentos

O assunto desse texto é o controverso tópico do desarmamento.
Após a leitura de um livro sobre o assunto, me senti compelido a vir aqui falar, mesmo que de forma breve, sobre esse assunto tão inacreditavelmente desconhecido pelas grandes massas.

Eu mesmo, no passado, sem pensar, pesquisar ou ler, fui a favor do desarmamento. Isso lá com meus 16 anos de idade. Acreditava, sem bases para tal, que a arma era má, vilã cruel e instigadora primordial da violência. Afinal, o que vemos no nosso dia a dia na TV e nos jornais? O que escutamos da boca de conhecidos e desconhecidos sobre o assunto nas conversas corriqueiras cotidianas? Exatamente, tudo indica que a arma é nociva e só traz vítimas e violência. Tenho que admitir, com pesar, que votei a favor do desarmamento, na minha imatura posição de adolescente sem senso crítico.

Mas será que as armas são assim mesmo malignas por natureza?

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Doutor Estranho – O Juramento - Resenha (Dr. Strange - The Oath)

Nunca havia lido nada do Doutor Estranho, porém sempre tive interesse na figura enigmática do mago supremo, com sua capa vermelha e sua aparência “Vincent Priciana”. Decidi então adquirir uma HQ dele para conhecer um pouco de sua história.



Apesar do nome de tratamento “Doutor”, não desconfiava que de Stephen Strange era médico. Pois então, para quem não sabe nada sobre ele, assim como eu não sabia, ele é, de fato, um médico, ou era, dependendo do sentido pelo qual se olha.

Stephen Strange era um cirurgião. Não apenas um cirurgião comum, mas o melhor. O que outros médicos não conseguiam solucionar, ele conseguia. Com seu manuseio preciso e primoroso dos instrumentos cirúrgicos, ele salvava inúmeras vidas. Mas sempre havia mais vidas para salvar do que ele conseguia. Afinal, era apenas um.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Thor: O Deus do Trovão - Carniceiro dos Deuses – Bomba Divina

Após a leitura de um clássico das raízes mitológicas de Thor, conforme relatado no texto anterior, por que não pegar uma leitura atual do mesmo herói?

Pois então agora a leitura feita foi da saga onde temos o vilão Gorr, que é composta por dois volumes: “Carniceiro dos Deuses” e “Bomba divina”.

Escrita por Jason Aaron temos uma história bem mais madura e repleta de, não somente de embates físicos, como também de confrontos filosóficos.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Thor: Os Contos de Asgard - Graphic Novel

Nunca antes tinha eu parado um tempo para ler alguma HQ do Thor. Eis que o fiz. Li “Thor – Contos de Asgard”, da coleção de graphic novels da Marvel – Clássicos II.

Como meu contato com o herói e deus Thor era em sua maior parte devido aos filmes recentes, muito me surpreendi, de uma maneira gratificante, com o Thor das HQs.


Em “Os Contos de Asgard”, temos os mitos e lendas nórdicas recontadas e interpretadas livremente por Stan Lee e Jack Kirby, de maneira magistral.

sábado, 19 de março de 2016

Monopólio e Telemarketing

Você tem uma bala aí?”. Essa foi a fala de um operador de telemarketing para, possivelmente, seu colega de profissão ao lado, durante um atendimento onde ele provavelmente pensava que a função “mute” estivesse ativa.

Cansado de lidar com essas situações, que não deveriam ocorrer, e cansado de reclamar por estar sem telefone e internet há quase um mês, surge uma certa raiva.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Zelda Soundtracks – Trilhas Sonoras Sagazes de Outrora


Se você for o tipo de pessoa que curte ou curtiu muito os jogos da franquia Zelda, com certeza irá desfrutar desse conteúdo, ou, pelo menos as trilhas sonoras das quais vou falar aqui.

Que nostalgia que surge ao relembrar tempos idos, onde jogava Ocarina Of the Time sem compromisso, sem saber o que são as obrigações e responsabilidades das pessoas adultas. Pois bem, essa fase passou e uma nova surgiu, mas podemos sempre retornar, nem que seja por alguns momentos, aos tempos de outrora.

A música o que é, se não um tipo de máquina do tempo, né? Então, ao procurar a trilha sonora da franquia Zelda, no Spotify, esbarrei com dois artistas bem interessantes, que eu gostaria de citar aqui. Trata-se de Taylor Davis e de Wesley Sprayue.