domingo, 6 de dezembro de 2009

Análise pessoal sobre matéria da Info Exame


Li nesse fim de semana uma revista que leio sempre, ou tento ler sempre, que é a “Info Exame”. Mas andei lendo um número antigo, que já tinha a tempos e ainda não tinha lido.


Eis que me deparo com um artigo de uma jornalista. Não a critico negativamente, muito pelo contrário. Achei o artigo dela muito bom. Ela falou sobre a classe C e seu aumento de usuários na internet.


Para começar o texto de maneira clara, busquei essa definição do que é a classe C no blog Por Acaso, e consta que é o seguinte: “Classe "C" é o grupo que ganha menos de 10 salários mínimos por mês. Atualmente, representa 90% da população brasileira, é responsável por 79% do consumo, atinge 69% do mercado de cartões de créditos, são 86% do total de internautas no Brasil e movimentam mais de 760 bilhões por ano.”


Através de vários dados estatísticos de pesquisas, ela informa que o número de pessoas da classe C que está usando a internet hoje em dia está muito maior do que era antes. Devido a diversos fatores.


Depois que eu terminei de ler o artigo em questão é que fui entender o significado do título do artigo, que achei um pouco “infeliz” a escolha. Meio desigual. O título do artigo é “Arrombaram a Web!”


Tudo bem que a criminalidade tem seu índice maior entre os de classe econômica menos favorecida , mas também existe crime entre os poderosos, entre os de classes superiores. E não são poucas as evidências que temos disso no dia a dia. Achei meio inadequado colocar esse título. Não que eu me sinta ofendido ou algo do tipo, realmente não é esse o caso. Mas eu acho que não foi uma boa escolha, somente isso. “Arrombaram a web!” Como se a classe C só arrombasse as coisas por aí e praticasse nada além do ilícito e do destrutivo. Achei meio generalizador e preconceituoso. A jornalista não desmereceu a classe C em nenhum momento no texto, minha querela é somente sobre o título.


Sou contra essa história de rotular e classificar e daí julgar a maioria. Isso vale para todas as questões. Afinal, as pessoas são muito variadas, e seus problemas e situações podem ser muito diversificadas. É injusto criticar um grupo sem conhece-lo por completo, fazendo os que não merecem receber a crítica sofrer por estar “andando junto”.


Enfim, esse post não tem um objetivo específico, foi só uma observação minha de algo que achei inapropriado. Uma interpretação que talvez possa não ter sido notada por outras pessoas, ou outras visões.




Nenhum comentário: