sábado, 17 de fevereiro de 2007

O que é a realidade?




Lendo uma letra de uma música da banda de Punk “The Offspring” eu tive a idéia para o texto abaixo, se trata de um comentário sobre essa letra que li, da música “Self Esteem” (Auto-estima).

A letra traz uma questão diferente à tona, a questão do sofrer relacionado com o “mostrar interesse” que geralmente todos falam, de forma diferente, evidentemente.

Mas abaixo vai a letra traduzida para que possa ser feita a análise:

Auto estima

Eu escrevi pra ela pela décima vez hoje
E ensaiei todas as coisas que eu iria dizer
Mas ela veio de novo
Eu perdi minhas forças
Eu a levei de novo e fiz sua sobremesa
Agora eu sei que estou sendo usado
Tudo bem, porque eu gosto do abuso
Eu sei que ela está brincando comigo
Tudo bem, porque eu não tenho auto estima

Nós fazemos planos de sair à noite
Eu espero até às duas e apago a luz
Toda essa rejeição me deixa pra baixo
Se ela continuar eu até posso reclamar com ela

Quando ela diz que só quer a mim
Aí eu penso por que ela dorme com os meus amigos
Quando ela diz que eu pareço uma doença
Aí eu imagino o quanto mais eu posso tolerar

Bem, eu acredito que eu deveria lutar por mim mesmo

Mas eu realmente acho que é melhor não
Quanto mais você sofre

Mais mostra que você realmente da importância, certo?


Agora eu vou lhe contar mais um pouco...
E isso acontece mais do que eu iria gostar de admitir
De madrugada ela bate na minha porta
Bêbada de novo e querendo transar
Nessa hora eu sei que eu deveria dizer “não”...
Mas é um pouco difícil quando ela está pronta pra vir
Eu posso ser um idiota

Mas eu não sou um besta
Eu só sou um baba ovo sem auto estima

(The Offspring)

A letra cita uma situação que não é totalmente incomum, e fala de um desfecho que também não é comum apesar de ser levemente chocante. Geralmente as confissões de algo “errado” (outra contra a moral vigente) são chocantes, a realidade acaba se tornando chocante...

Seria certa ou errada a atitude do “eu” da letra?

Quem estaria numa posição adequada para julgar?

Outro ponto crucial da letra é o ponto em que é dito: “Quanto mais você sofre / Mais mostra que você realmente da importância, certo?”.

Será que o sofrimento sempre está aliado à importância que damos a algo mesmo?

Muitas pessoas dizem isso e acredito que esta não seja uma atitude “genérica” adotada somente em nosso pais, pois que a indagação “certo?” Parece ser um toque bem sutil do autor questionando essa(s) pessoa(s) que diz (em) esse pensamento pré-moldado.

Ou seja, uma indireta ao argumento usado de forma irônica.

E nesse misto de ironias, sutilezas, realidades e afirmações chocantes onde entra o objetivo desse texto?

Ele está contido no geral, contido em tudo, englobando tudo numa grande bola de neve que corre em vários sentidos diferentes e ao mesmo tempo...

O sentido só depende de quem lê, e do que pensa do que leu...

4 comentários:

Telegraph Road disse...

Fala, porraaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!
Porra, isso ae, cara, texto foda, kkkkkk
Teve um ponto ali que me chamou mais atenção sim, eu acho que quanto mais sofremos com as coisas é porque damos importância demais sim... é por essas e outras que eu estou EXTREMAMENTE DECEPCIONADO! KKkkkkkkkkk

Sandra disse...

Porra, Daniel!!!!kkkkkkkkkkk
Já tô ficando cansada de vir aqui só prá ter que concordar com o Carlos!!!
Não sabia que a gente pensava tão igual assim!!!!kkkkkkkkk

Só não entendi ainda o porquê dele estar sempre "EXTREMAMENTE DECEPCIONADO"!KKKKKKKKKKKKK

Beijão pros dois, e adorei seu texto, Daniel!!! Você sempre escolhe temas interessantes e adoro suas viagens!!!kkkkkkkkkk

Luciana disse...

kkkk "extremamente decepcionado" já virou moda kkkk em tom de gozação, lógico kkkk
Bond... "Self esteem" foi hino pra mim há muito tempo atrás... foda...

Marcia disse...

A necessidade de sofrer para sentir que faz parte de algo, que faz parte da vida de alguém..
Sem essa "ausência", "dor", "tristeza","mágoa".. enfim, o que é que resta? O "vazio".. O que mais assusta é o "nada".. a falta de esperança, mesmo que essa esperança seja sempre na dor.. mas ao menos existe..
Ótima análise.. :*