terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Stephen King, O Coração Assombradamente criativo.

Há tempos atrás (alguns anos), em uma conversa sobre escrita e livros, fiquei sabendo, graças ao amigo com quem eu conversava, de um livro peculiar do escritor Stephen King. Trata-se do livro “Sobre a Escrita”.

Naquela época então, meu amigo me disse que nesse livro, bem diferente dos livros habituais de King, havia dicas, conselhos e orientações para pessoas que tinham interesse em escrever suas próprias histórias, ficcionais ou não. Após essa conversa com meu amigo, fiquei interessado em ler esse livro, porém, com os problemas e rotinas do nosso cotidiano, esse interesse acabou caindo no esquecimento.



Porém, recentemente, caiu em minhas mãos, felizmente, a biografia de Stephen King (presente da namorada) e eu comecei a ler. Dentro de poucos parágrafos já voltei no tempo e me lembrei daquela conversa acima citada. Os pontos se ligaram e o interesse em ler “Sobre a Escrita” retornou.

Apesar de não ter lido ainda o “Sobre a Escrita”, pelas sinopses, vejo que existem muitos pontos em comum dele com sua biografia, visto que 90% da inspiração de King para seus romances vieram de sua vida pessoal. E, ver como essas ideias “brotaram” em sua mente é uma verdadeira lição de vida.


Eu poderia dizer que foram ideias mirabolantes, mas não, pelo contrário, são extremamente simples. Na verdade nada aconteceu de sobrenatural ou espetacular na vida de King, porém sua mente atenta, seu foco e perseverança fizeram toda a diferença.

O que aconteceu na vida dele foi o que acontece na minha e na de vocês, se é que posso dizer assim. O que aconteceu foram problemas do dia a dia, viagens (longas ou curtas), convívio com pessoas, impasses, dilemas, decisões, leituras, etc. O ponto que quero ressaltar é que o mundo está desdobrado para todos nós em diversos níveis simultaneamente. O que vamos fazer com o mundo é responsabilidade exclusivamente nossa. De uma mesma matéria prima podem surgir belíssimas obras e criações extremamente degradantes, podem surgir frutos tediosos e resultados fantásticos.
King apenas “pescou” o que queria do mundo e colocou em páginas, usando sua personalidade e facilidade de contar histórias.

Não digo isso para desmerecer o escritor, por que apesar de simples, ele fez o que muitos não fazem. Na maioria das vezes a solução de nossos problemas são tão simples que nos recusamos a enxergar ou fazer.

Para quem gosta ou quer escrever como objetivo de um algo maior, eu recomendo aqui então a leitura desses dois grandes livros. Ainda não li o “Sobre a Escrita”, mas posso indicar com certeza de qualidade, pelo que li da Biografia de King (Coração Assombrado), escrita por Lisa Rogak, da editora Darkside.

Esse livro realmente ajuda muito a ver as coisas da nossa vida como infinitas sementes, de onde podemos fazer brotar o que quisermos.



Mais informações:

PS.: Deixo aqui meu agradecimento ao amigo citado, João (Gore).

Nenhum comentário: