segunda-feira, 14 de junho de 2010

Virtual Doctor


Já vi mais de uma vez um episódio dos Simpsons em que a Marge fica hospitalizada e a Lisa tem que cuidar da casa, sendo que Homer e Bart ficam promovendo a maior zona doméstica na situação.

Lisa, então, prega uma peça em ambos. Quando eles adormecem, ela mistura, se não me engano, aveia com tinta verde, e os pinta. Eles acordam desesperados e vão em busca dela para saber o que aconteceu. Eis que ela liga o PC e visita um tipo de site de médico virtual. Nesse site aparece um vídeo de um médico perguntando quais são os sintomas que eles têm. Eles vão falando os sintomas e no fim ele diz que eles tem lepra. (risos)

Isso foi até uma crítica “sutil” a quem porventura use esse site no lugar de consultar um médico real. Enfim.

Essa cena me fez pesquisar na net sobre a existência desse tal site com o médico virtual, e hoje encontrei e aqui venho lhes indicar. O site parece ser bem completo. Já no início o doutor Stephen Schueler aparece num vídeo instruindo os visitantes a digitar o sintoma na caixa de diálogo ao lado do vídeo. Em suas palavras “Se você marcar um tópico de sintoma que tenha a classificação 'virtual doctor', eu irei lhe entrevistar e ajuda-lo a decidir se você precisa ir a um médico e o porquê”.


Uma nota no pé da página informa claramente que as informações do site freeMD são apenas para consultas e NUNCA devem ser usadas como substitutas de médicos, tratamento e/ou exames reais. E recomenda a leitura dos termos de uso.

Existem dois tipos de classificações de sintomas, os que estão marcados como “Virtual Doctor” (marcado em azul) e os “Encyclopedia” (marcado em vermelho) Ao escolher um tópico classificado como “Virtual Doctor”, o doutor fará algumas perguntas e no final irá dizer o que pode estar causando os sintomas. Ao escolher um tópico da “Encyclopedia”, você será direcionado a uma página com texto sobre o assunto em questão.


Achei muito interessante, pois o site é bem objetivo e com várias fotos que ilustram as perguntas do médico. Diz o site que o site foi elaborado por uma equipe de 15 conceituados médicos. Não recomendo para quem é ou tem tendências hipocondríacas, como eu.

A uns tempos atrás li uma matéria dizendo que os hipocondríacos tem sofrido mais após o aumento da abrangência da internet no mundo. Isso é justificado por que assim que a pessoa sente um sintoma qualquer como dor de cabeça, já busca informações sobre isso na internet e acaba ficando preocupada, já que isso pode ser também um sintoma para algo absurdamente sério.

Meu post de hoje vai contribuir para isso, mas é pelo bem maior, a divulgação de informações importantes.

O único “problema” é que o site é todo em inglês.

Um comentário:

.:.A Luciana.:. disse...

Orra, e você ainda indica o médico virtual uahahahahahhahahahah

Beijos, Bondico!