sexta-feira, 21 de maio de 2010

Criaturas que habitam meu lar


Estou morando num lugar ermo, afastado das coisas modernas, como algumas das pessoas que visitam esse blog de tempos em tempos sabem. Não acho legal morar em lugares assim, pelo menos não na atual fase da vida em que me encontro. É interessante vir, passar uns dias e tudo mais, mas pra morar, não acho uma boa. São vários os fatores que me fazem pensar assim, mas não falarei deles agora.


Esse post é sobre as criaturas que se passa a ver (e algumas vezes a conviver), ao se morar no meio do mato. De uns dias para cá comecei a registrar esses momentos de encontros selvagens, tal como um apresentador de programa da Discovery, com a câmera do celular. E aqui tenho algumas fotos para mostrar. Ainda faltam outras que postarei eventualmente no futuro, talvez.


Para iniciar temos essa medonha criatura das trevas:

Camaleão de espécie desconhecida por mim
Ok, essa criatura não tem nada de medonho. Aliás, é inofensiva. Sempre a conheci como “camaleão”, mas só pela foto, não consegui achar informações detalhadas sobre a espécie ou habitat. Não me surpreendi com a presença dela aqui no meio do mato. Na casa que eu morei no RJ era comum se deparar com essas criaturas no dia a dia. Elas ajudam a diminuir a família de mosquitos chupadores de sangue.

Indo adiante, temos esse pequeno sapo:

Foto de sapo amante das nights

Esse sapo é avistado constantemente aqui pelo quintal, mais frequentemente durante a noite. Pelo que observei, ele dorme durante o dia, perto de plantas que oferecem proteção contra as intempéries do tempo e a luz. Durante a noite eu creio que ele saia para caçar, comer, e possivelmente acasalar. É difícil achar informações no google quando se tem só uma imagem.

Para encerrar, por hoje, temos essa coruja.

Coruja against Paparazzi

Como todos sabem, corujas também só aparece durante a noite. Mas descobri um fato interessante sobre o seu comportamento.
Saindo de casa de noite, de lanterna em punho, me deparei com uma (essa da foto) e apontei o feixe de luz para ela. Descobri então que ela não consegue ver quando a luz está adiante. Isso me permitiu chegar bem perto para tirar uma foto (infelizmente ela não gosta de mostrar o rosto publicamente). Assim que apaguei a luz ela me viu e saiu voando para longe (acontecimento emocionante).

Futuramente terei fotos de animais perigosamente selvagens que vivem aqui nas redondezas, como o troll que vive no vale arborizado que tem seguindo pela minha rua e virando no fundo à direita.

2 comentários:

.:.A Luciana.:. disse...

Bond, quequiéilssom!!!

Se eu visse esse camaleão ou esse sapo, eu desmaiava. Se eu visse os dois juntos, morria. Não tenho o menor gosto e interesse por répteis e anfíbios.

E você conhece o meu ligeiro mal estar frente a lagartixas que, ainda mantendo a minha opinião, não são nem um pouco protetoras ou fiéias. Ainda vivem pulando em mim.

Lord Nyx disse...

Ficou bem maneiro cara, uma ideia simples que acabou em um ótimo post XD

PS: Acho que não teria coragem de morar em um lugar assim não cara, a quantidade da fauna vizinha ( digamos assim XP) e a calmaria que deve ser ai me fariam sair fora rapidinho kkkkkkk