sábado, 23 de maio de 2009

O Olho do Mal (The Eye)



Esse filme é um dos que nos faz pensar em como seria louco estar na situação da personagem principal.

Em ver além do que realmente existe, se é que existe algo pra se ver além, o que eu, particularmente, creio que exista, embora talvez não como o filme retrata.

É uma questão delicada, cada um crê em algo diferente. Uns avaliam pela razão, outros pela crença em explicações filosóficas ou religiosas; mas o certo é que sempre gera polêmica.

Será que algum dia existirá uma explicação verdadeira para isso?

É algo que eventualmente eu parava pra pensar. Mas depois logo via que o tempo é curto demais para pensar nessas coisas. Talvez não faça diferença saber o que vai ou o que não vai acontecer depois que chegarmos ao nosso fim.

Penso em como seria se as pessoas em geral não tivessem crenças tão arraigadas em si; crenças religiosas, em geral, que pregam a existência de um algo além da morte, e que nossa existência lá dependa de nossos atos aqui e agora.

Muito medo nós vemos por aí, embora por outro lado se observe constantemente o oposto também.

O que se conclui disso tudo?

Não tenho a mínima idéia. Só vejo que como não há uma maneira exata e racional de chegarmos a um determinado ponto de certeza, não vale a pena gastar o tempo curto de nossa vida indagando coisas como essas. Ou seja, não vale a pena perder tempo escrevendo sobre isso como estou fazendo agora.

Enfim, recomendo esse filme por esse motivo. Mostra como sempre existe uma razão para algo acontecer, no caso do filme, algo fictício, mas na vida real não creio que seja de maneira diferente. Nada acontece por acaso.


The eye, traduzido para o português como “O olho do mal” (nunca vou entender essas traduções psicodélicas...), foi produzido em 2008, mas é na verdade um remake de um filme de 2002, dos Irmãos Pang, consagrados já no gênero de suspense. É estrelado pela Jéssica Alba, que trabalhou também no filme do Quarteto Fantástico.


Falando bem por alto, a Jéssica faz papel de uma violinista cega desde os 5 anos de idade, que, depois de adulta, recebe um transplante de córneas. Só que depois que ela começa a enxergar ela começa a ver coisas um tanto quanto incomuns. Aí é melhor ver o filme pra saber do que falo.

O filme traz um conceito interessante, falando na área científica: o conceito de memória celular. A memória celular é uma teoria hipotética que diz que a memória, hábitos, interesses e gostos das pessoas podem ser armazenados nas células do corpo humano, não somente nas do cérebro. Ou seja, uma pessoa, ao receber uma doação de algum órgão alheio, pode “herdar” do doador essas características. Existem muitos relatos de que isso tenha ocorrido, embora nada tenha sido cientificamente comprovado até o momento.

Para quem deseja se aprofundar no assunto, tem um link aqui muito bom, porém em inglês, de um artigo publicado em 2000 na Integrative Medicine, um jornal sobre terapias alternativas, escrito pelo Leslie A. Takeuch, um terapeuta e estudioso conhecido.


Links: Artigo da IM, Wikipédia


Mas existem diversos outros casos e referências a essa teoria em sites na internet; e muitos outros filmes, seriados, desenhos e até jogos de vídeo game que fazem menção a essa hipótese curiosa.


Trailler o filme (legendado):



Outra informação não menos importante e deveras sagaz, foi que descobri que a Jéssica Alba já saiu na Playboy americana, kkkkkkk, saquem a capa:


6 comentários:

...::: A Luciana :::... disse...

Que capa da Playboy mais comportadinha, não?

Essa teoria é super interessante. Sério mesmo. Já vi alguns filmes sobre isso. Um tinha a ver com clonagem. O meninininho tinha algo do seu irmão além do mesmo código genético (lembranças... e atitudes). E tinha um filme que sempre passava no Cine Trash: o cara recebia um braço em um transplante. E começou a pintar quadros sinistros. E não tinha controle sobre o tal braço kkkkkkk... Ah, eu gostava, pô kkkkk

E sobre o vinho... sem comentários... kkkkkkkkkkkkk

=***

Daniel disse...

Pois é, né Lu, bem comportada; as fotos que consegui ver dela na net também foram bem comportadas, talvez a playboy americana seja mais light, kkkkkkkkk.

Po, acho que cheguei a ver esse do cara que recebe o braço transplantado, kkkkkkkkk.
Po, mas é interessante pra caramba, né, Lu, curioso, os casos são bem bacanas.

Ana Lemes disse...

Eu vi o original desse filme, e é foda! Como não curto muito remakes (pior ainda se forem norte-americanos! hauuhahua) não cheguei a ver esse!
Seu blog tá muito divertido Dan! Continue atualizando sempre!
beijoo :*

Daniel disse...

Po, recomendo que veja, Srta Ana, kkkkkkk vou procurar ver o original pra comparar.

Valeu pelo elogio, to com umas idéias pra colocar nele ainda, vamos ver, rsrsrs
Beijão =***

Anônimo disse...

na verdade ela não saiu na playboy, eles que pegaram uma foto de um filme que ela fez sem a autorização dela....na época ela ia processar a playboy mas o dono pediu desculpas e ficou elas por elas.

Daniel disse...

Mas ela saiu na Playboy, foi citada na lista das 25 personalidades mais sexys americanas.
Ela só não ficou pelada, rsrsrs, mas que saiu saiu, kkkkk.

;)